sexta-feira, 20 de maio de 2016

Falar em Línguas – Dom de Deus


A presença do Espírito Santo na vida do crente é muito importante, porque Ele ajuda, guia, consola, e até convence o homem do pecado (João 16:8-13). É como disse Salomão em Provérbios 1:23: Convertei-vos pela minha repreensão, abundantemente derramarei sobre vós o meu espírito e vos farei saber as minhas palavras.

Falar em línguas estranhas é apenas uma de muitas obras que o Espírito Santo opera em favor da igreja. O Espírito Santo é mais que água fresca na boca de quem está com sede (Is. 44:3), por isso Jesus o chamou de consolador (João 14:16). Joel 2:28 diz: E há de ser que depois, derramarei o meu Espírito sobre toda carne. Essa colocação não diz que até os ímpios serão batizados com o Espírito Santo, até porque na parte final do versículo Deus aponta para a igreja, quando diz: e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, e vossos velhos terão sonhos e vossos mancebos terão visões.

Nem todos podiam se aproximar de Deus ( Ex.19:21). Esses eram considerados como ‘toda carne’, da qual fala o profeta Joel. Mas Deus fala através de Ezequiel (Ez. 39:29): Não esconderei mais a minha face deles, quando eu houver derramado o meu espírito sobre a casa de Israel, diz o Senhor Jeová. Porque, receber o Espírito do Senhor era um privilégio dos profetas e sacerdotes (Luc. 1:9-10), tanto é que Deus conclui em Joel 2:29: e também sobre os servos e sobre as servas, naqueles dias derramarei o meu Espírito. Isto se cumpriu em Atos 1:15 e 2:1-4, onde estavam reunidos os discípulos em oração. Em Atos 2:13 vemos que os ímpios incrédulos zombavam, mas Pedro diz nos v. 15-16: Esses homens não estão embriagados como vós pensais, mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel (Joel 2:28-29): E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos. E também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e minhas servas naqueles dias e profetizarão. E os que estavam reunidos naqueles dias eram somente os discípulos e os apóstolos, e não toda a carne no sentido generalizado.
Em João 14:17 e 26 Jesus nos faz entender o Espírito Santo como Consolador unicamente restrito a igreja, quando diz: O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece, mas vós o conhecereis, porque habita convosco e estará em vós.  E João batista disse: Eu vos batizo com água para o arrependimento, mas após mim vem aquele que é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo (Mat. 3:11). João Batista se refere à igreja quando diz: E vos batizará, eu vos batizo. Não apontaria os fariseus que não tinham compromisso com os mandamentos de Deus (Mat. 15:3).
Dois batismos: na água para o arrependimento e no Espírito Santo falando em línguas estranhas
Atos 19:1-7: Paulo pergunta-lhes: Receberam o Espírito Santo quando crestes? Responderam eles: Não, nem sequer ouvimos que haja Espírito Santo. Tornou-lhes ele: Em que fostes batizados, então? Responderam: No batismo de João. Paulo disse: Certamente João batizou com batismo de arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus. Impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo e falaram em línguas e profetizaram, ao todo eram uns doze homens. Esse texto separa o batismo nas águas do batismo com o Espírito Santo, quando Paulo pergunta se eles conheciam o Espírito Santo, e eles respondem que não. Então Paulo admirado pergunta em que batismo eles eram batizados e eles respondem que era no batismo de João para o arrependimento. Como muitos em nossos dias não conhecem o batismo com o Espírito Santo, aqueles homens também não conheciam. A diferença é que quando aqueles homens ouviram, creram e receberam e hoje muitos ouvem, mas não crêem nem aceitam e conseqüentemente não recebem.
 O dom do Espírito Santo não se compra com dinheiro
Atos 8:14-24 Filipi pregou em Samaria e muitos creram e foram batizados, inclusive um homem que era mágico, chamado Simão. Ouvindo os apóstolos que estavam em Jerusalém que Samaria recebera a palavra de Deus, enviaram para lá Pedro e João. Quando chegaram, oraram por eles para que recebessem o Espírito Santo, porque sobre nenhum deles tinha descido ainda, mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus. Então lhes impuseram as mãos e receberam o Espírito Santo. Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, ofereceu-lhes dinheiro, dizendo: Dai-me também esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo. Pedro, porém, lhe disse: O teu dinheiro seja contigo para perdição, porque pensaste que o poder de Deus se alcança com dinheiro. Tu não tens parte nem sorte neste ministério.
Este texto é bastante esclarecedor e não deixa dúvida de que quem fala em línguas não aprende por homem e nem faculdade, mas é dom exclusivo de Deus, e só Ele é quem dá. Quem pensa em comprar com dinheiro este dom, desafia o próprio Deus, podendo ser até condenado. E quanto aos incrédulos, a estes não será concedido, porque Jesus disse: Quem crer e for batizado, será salvo, mas quem não crer será condenado. E estes sinais hão de seguir os que crerem: Em meu nome expulsarão demônios, falarão novas línguas e pegarão em serpente, e quando beberem alguma coisa mortífera não lhes fará mal algum, imporão as mãos sobre enfermos e os curarão (Mar. 16:16-18). Existe essa promessa aos crentes em Deus, que obedecem a Sua palavra (Atos 5:32 / Luc. 24:49).

As línguas dos homens e dos anjos

Em I Cor. 13:1 Paulo fala sobre as línguas dos homens e dos anjos. Quando Paulo fala das línguas dos homens se refere aos idiomas, o inglês, português, alemão, hebraico, casteliano, japonês… línguas faladas por nações terrestres, consideradas línguas dos homens. E quando Paulo se refere às línguas dos anjos, fala exatamente das línguas faladas pelos seres celestiais. E são exatamente através desses idiomas estranhos que o homem fala com Deus, e não aos homens (I Cor. 14:2) e Paulo completa: Ninguém o entende e em espírito fala em mistério.
O que profetiza é maior do que o que falta em línguas estranhas (I Cor. 14:5), porém Paulo recomenda: Portanto, irmãos, procurai com zelo profetizar, e não proibais o falar em línguas, mas faça-se tudo com decência e ordem (I Cor. 14:39-40. Paulo chamou o batismo nas águas de batismo de arrependimento (atos 19:4 / Mar. 1:4 / Luc. 3:3). e o falar línguas estranhas é o batismo com o Espírito Santo (João 1:33 / Atos 1:5Atos 2: 4 / Atos 10:44). Toda a nossa crença torna-se inútil se não cremos em toda a Palavra de Deus.
fonte:https://luizgregoriogomes.wordpress.com/2005/12/23/falar-em-linguas-dom-de-deus/

FIGURA!!!